DESTAQUES

NOVIDADES

Matérias em destaque

​​​​​​​Símbolo da representatividade nos quadrinhos de super-heróis nos anos 1990, a milestone está de volta e alinhada com os tempos modernos

MUNDO DOS SUPER HERÓIS | 126 | Outubro 2020

Retorno bem-vindo

MUNDO DOS SUPER HERÓIS | 126 | Outubro 2020

A prática da meditação vai muito além do mindfulness. Conheças outras práticas meditativas tão famosas quanto a atenção plena | Leia mais na edição 2, da revista Segredos da Mente – Cérebro e Meditação

SEGREDOS DA MENTE | Cérebro e Meditação 2 | Outubro 2020

Inúmeras possibilidades

SEGREDOS DA MENTE | Cérebro e Meditação 2 | Outubro 2020

A fazenda Daterra desenvolveu uma pesquisa junto ao Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), em Campinas, SP, para analisar os diferentes tipos de embalagem disponíveis no mercado para armazenamento de café | Mais em Revista ESPRESSO

ESPRESSO | 69 | Outubro 2020

A escolha da embalagem para o armazenamento do café cru

ESPRESSO | 69 | Outubro 2020

Respeitar os limites do corpo, pegar menos carga e aumentar o ritmo progressivamente são cuidados necessários para não sofrer lesões | Leia mais em Sport Life, edição 216.

SPORT LIFE | 216 | Setembro 2020

De volta à rotina de treinos

SPORT LIFE | 216 | Setembro 2020

Segundo longa-metragem da heroína, MulherMaravilha 1984 marca, na verdade, a quarta aparição da versão cinematográfica da Princesa Amazona. As anteriores foram em Batman vs. Superman (2016) e Liga da Justiça (2017), ambientados nos tempos atuais, e em Mulher-Maravilha (2017), situado no início do século 20, nos momentos finais da Primeira Guerra Mundial. O longa-metragem atual, como o próprio nome entrega, será ambientado no meio do caminho, na colorida e frenética década de 1980. Isso significa que Diana viveu mais de 65 anos após ter lutado ao lado do amado Steve Trevor, falecido na guerra, em 1918. Se por um lado o tempo trouxe mais experiência a ela, também a deixou mais solitária. | Leia mais em Mundo dos Super-Heróis, edição 125.

MUNDO DOS SUPER HERÓIS | 125 | Setembro 2020

Pronta para a batalha

MUNDO DOS SUPER HERÓIS | 125 | Setembro 2020

Praticar caminhadas, ciclismo e outros esportes ao ar livre é muito saudável. Mas quem se dedica a essas atividades também está sujeito a concussões. Mais do que um machucado superficial na cabeça, a concussão é uma lesão ocorrida quando alguém sofre um choque, solavanco ou pancada que faça o cérebro balançar dentro do crânio, onde ele fica suspenso no líquido cefalorraquidiano.

SELEÇÕES | Agosto | Agosto 2020

Pancadas fortes. Como identificar uma concussão e se recuperar dela

SELEÇÕES | Agosto | Agosto 2020

“Amo ser mãe e minha vida hoje anda muito bem exatamente por ter vivido essa experiência tão cedo”, revela Emanuelle Araújo. A cantora e atriz, hoje com 44 anos, deu à luz Bruna Bulhões no auge da adolescência. A morena, que se tornou nacionalmente conhecida em 1999, após substituir Ivete Sangalo como vocalista da Banda Eva, confessa ter levado um susto, afinal a gravidez não havia sido planejada e ela tinha apenas 16 anos. Mas, ao mesmo tempo, sentiu que era coisa do destino e, a partir daquele instante, passaria a viver os melhores momentos da sua vida. Confira, a seguir, as descobertas, aprendizados e experiências positivas e inspiradoras que a maternidade (e a idade) lhe proporcionaram” Karla Precioso

ANA MARIA | 1236 | Agosto 2020

Mãe adolescente, mulher bem resolvida!

ANA MARIA | 1236 | Agosto 2020

O litoral norte paulista é um dos mais belos do País. E isso se deve em grande parte ao magnetismo das montanhas da Serra do Mar, que nesse trecho da costa avançam sem qualquer cerimônia até a beira das praias, formando enseadas fotogênicas cercadas pelo verde da mata atlântica.

VIAJE MAIS | 231 | Agosto 2020

As mais belas Paulista

VIAJE MAIS | 231 | Agosto 2020

A taxa básica de juros em 2% ao ano aproxima o Brasil de índices semelhantes ao de economias maduras. Só falta o custo menor do dinheiro chegar ao consumidor Dois por cento. Em um Brasil acostumado a juros oficiais mais altos do mundo durante décadas, a Selic nesse patamar é um fato inédito. Na quarta-feira (5), o Comitê de Política Econômica do Banco Central (Copom) renovou o recorde de baixa ao cortar em 0,25 ponto percentual a taxa básica. Com isso, deixa o País mais próximo do custo zero do dinheiro, embora o custo de qualquer modalidade de empréstimo ou financiamento seja muito acima disso para o consumidor final. O Copom justificou a decisão à tentativa de reativar a atividade econômica e sinalizou que poderá fazer novos cortes. “Eventuais ajustes futuros no atual grau de estímulo ocorreriam com gradualismo adicional e dependerão da percepção sobre a trajetória fiscal”, informou a instituição, em nota, indicando receio com o afrouxamento da política fiscal e o estouro dos gastos públicos durante a pandemia. Que a queda da Selic é um bom remédio para o País, ninguém duvida. A dose do estímulo, no entanto, é vista com cautela pelos economistas. Para o ex-presidente do BC, Arminio Fraga, levar a taxa básica para perto de zero pode um sinal de problemas econômicos. “Não há dogmas que impedem novos cortes da taxa, mas isso mostraria que as coisas estão muito ruins”, disse Fraga, em live promovida pelo jornal Valor. Os economistas do BC reconhecem que há um sinal amarelo aceso no campo econômico e condicionaram a manutenção da Selic baixa à continuidade dos debates em torno das reformas necessárias para a longevidade da saúde fiscal brasileira, especialmente a tributária. “Perseverar no processo de reformas e ajustes necessários na economia brasileira é essencial para permitir a recuperação sustentável da economia”, acrescentou a nota do Copom. Na avaliação do coordenador de cursos de pós-graduação da Fipecafi, Estevão Alexandre Garcia, a consolidação esse novo patamar da Selic abre espaço para que o governo reduza suas despesas com o pagamento de juros da dívida e amplie investimentos em áreas essenciais para a volta do crescimento. “Sem qualquer risco de pressão inflacionária no curto e médio prazo, a Selic perto de zero cria um ambiente favorável a um plano mais ousado de investimentos, com gastos maiores e melhores”, afirmou o economista. “Resta o aumento da concorrência no sistema bancário para que essa taxa básica de juros represente custos menores para os brasileiros”, disse Garcia. Agora, é pagar – de preferência pouco – para ver. Leia mais na revista IstoÉ Dinheiro, edição 1183.

ISTOÉ DINHEIRO | 1183 | Agosto 2020

Selic mais perto de zero

ISTOÉ DINHEIRO | 1183 | Agosto 2020

Durante a quarentena, a maioria das pessoas está passando 24 horas por dia junto dos seus animais. Mas, apesar de eles serem uma companhia maravilhosa, isso pode resultar em complicações quando tudo normalizar. | Leia mais na edição 1232, da revista Ana Maria.

ANA MARIA | 1232 | Julho 2020

O perigo do apego excessivo com o animal

ANA MARIA | 1232 | Julho 2020